Arquivo de dezembro, 2008

Cortar o Tempo

Publicado: 29/12/2008 em cinema, vida
E lá se foi 2008.
Um ano muito rápido esse, diga-se de passagem. Sabe, muitas coisas boas aconteceram comigo nesses 360 e poucos dias: saí de uma faculdade que eu não gostava, arrumei um emprego, criei meu blog e me apaixonei perdida e longamente por uma pessoa que eu mal conhecia…
Um ano lotado de excelentes filmes, aliás acho ser o ano em que eu mais asssiti filmes. Me tornei um tanto quanto compulsivo por cinema: caçando os grandes clássicos, querendo ver (quase) todos os lançamentos, estudando por conta própria toda a mecânica envolvida num filme… Teria eu, finalmente encontrado a minha profissão dos sonhos?
Só o tempo dirá. Pretendo nesse ano novo prestes a nascer, me dedicar de verdade a essa paixão, investir nela, aprender a construir roteiros e storyboards, assistir ainda à mais filmes, comprar minha primeira câmera e me arriscar por aí…

Bom, sonhos e metas à parte, vamos encerrar a bagaça aqui em grande estilo! Com a palavra, um certo Drummond:

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,a que se deu o nome de ano,foi um indivíduo genial.Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar eentregar os pontos.Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente”

Feliz ano novo!

Anúncios

Claus Revenge

Publicado: 24/12/2008 em eventos, vida

Véspera de natal e estamos no auge do verão brasileiro: muito calor, com esporádicas, mas violentas chuvas inundando as calçadas por aí. Não posso dizer que minhas férias estão tediosas: tô com mil coisas pra fazer. Melhor assim: não dá espaço para a melancolia que costuma me dilacerar sem piedade nessa época de natal/reveillon.

Bom, como é de praxe na familia Gomes, hoje (ou melhor, amanhã), à 0:00 acontece a tradicional troca de presentes, com uma diferença: a que agora eu e minha irmã estamos empregados, o que aumentou exponencialmente a quantidade de presentes debaixo da árvore (\°/)… O que me leva a lembrar dos velhos tempos no qual havia um Mega Amigo Secreto, que envolvia minha familia mais o pessoal da parte do meu pai (que moram lá no fim do mundo) num grande evento de fim do ano. O ultimo que participamos devia ser em 2000, lembro que ganhei um violão (que nunca aprendi a tocar). Mas aconteceu que o povo ia saindo, saindo e chegou um tempo que decidimos que nossa independência natalina seria a melhor opção.

E acho que foi mesmo… prefiro esse natal mais de boa, sossegado em casa e perto dos amigos.

Espero que seu Natal seja bom tambem!

Férias!

Publicado: 21/12/2008 em dinheiro, vida

De 8000 funcionarios, 3000 foram cortados. Uma choradeira sem fim, palavras de ódio nas portas dos banheiros… compreensível, mas inevitável: são tempos de Crise, dizem melancólicos os líderes da linha aos inconsolaveis agora ex-funcionários (ou melhor: colaboradores) da grande Flex Corporation.

“Agora só estamos com os melhores dos melhores!”
Um velhinho do RH em palestra aos sobreviventes

Sim senhores, eu resisti a Crise e terminarei o ano, diferente de milhares de milhões de almas com meu boring, mas remunerado trampo! E haverão boas mudanças em 2009, como um horário mais flexivel, que poupará meus sabádos and um adicional noturno de 3 horas todos os dias… High Fives!!!

O melhor de tudo isso são essas férias coletivas, que permitirão o retorno às minhas atividades nerds por tempo integral até 6 de janeiro. 16 dias livre de motherboards (exceto a minha!).

Boas férias pra todo mundo, e se quiserem acompanhar as minhas, passem nesse mesma hora e nesse mesmo canal num dia qualquer, pois agora tempo eu tenho!

Be Flex

Publicado: 17/12/2008 em besteiras, dinheiro

Semana decisiva na Flex Corps: todo dia parece o último para este carinha que vos escreve. Dia após dia, às portas de pegar férias coletivas sofremos horas de agressão psicológica, todo dia é um tal de gente chorando na linha, um verdadeiro velório. Dei sorte de trabalhar no prédio que menos sofre/sofreu com os facões do desemprego, mas sei não…

Eu sempre espero o pior…

Liberdade

Publicado: 04/12/2008 em animes, colecionaveis, turismo
Aconteceu que quinta feira passada uma amiga de longas eras, retorna para cumprir uma antiga promessa: me levar a maior colônia japonesa do país, a Meca dos otakus brasileiros: o Bairro da Liberdade.

Domingo lá estavamos nos embrenhando em meio à cheirosas barraquinhas de takoyakis, manjus e afins, delirando em infinitas lojas abarrotadas de gashpoons e action figures de todos os animes imaginaveis, todos com seus olhos grandes e brilhantes implorando por uma vaga em minha estante. Quisera eu, ter verba suficiente para atender o chamado de todos, porem meu cargo e bom senso me obrigaram a levar apenas duas peças:

Seiya – Excellent Model (1/8 PVC)

Evangelion New Movie Ver. EX School Uniform Figure Ayanami Rei

Alem de todo consumismo desenfreado, tivemos um momento “espiritual”, que aparentemente parecia sinistro: essa amiga me encontra um tiozinho que se dizia “Porteiro de Deus”. De prima, achei maneiro o jeito que o velhinho pregava, sabe? Ele tinha o dom de fazer as pessoas acreditarem que ele fosse mesmo um tipo de guru ou mensageiro. Mesclou alguma coisa de Teoria de Gaia, com Karma e Cristianismo. Percebi que a ruiva tava precisando daquelas palavras de esperança e retribuição (no sentido cármico), mas meu lado cientista esperou dez minutos pra jogar um baldinho de água fria na fé da coitada (e na minha tambem). Sei lá, depois de um tempo, me pareceu uma mensagem genérica demais, universal, e ele tava fazendo parecer que fosse algo especificamente pra ela, tipo: “eu sei que você está com problemas” e tal, mas na real: quem não tem problemas? Bom, existe a possibilidade do velho ser realmente um arauto divino, mas não me pareceu prova disso durante o sermão. Que eu queime no Inferno se estiver errado…

Enfim, a Liberdade se tornou o meu ideal de cidade, amei tudo e quero morar lá pra sempre!

Chinese Democracy

Publicado: 03/12/2008 em música
Mais enrolado que nerd em encontro romântico, o sexto album do Guns n’Roses ( se bem que de Guns mesmo só restaram os berrinhos do Axl…) tava no esquema do “vamo marcá” desde 94. Todo ano, o cabeludo vinha com a balela do “agora vai” e nada.
Bom, com 2008 já indo pro saco junto com a econômia do mundo inteiro, e SURPRESA: enfim lançaram o mais esperado (e tambem mais caro) CD da história, e se querem saber minha opinião, não valeu tanto a espera…

Tá certo que vivemos outros tempos, maaaas muito do que eu gostava do Guns se perderam como lágrimas na chuva. O Cdzinho começa bem: gosto das primeiras quatro, Chinese Democracy é decente, Shacklers Revenge é a melhor do album, Better é melhorzinha (trocadilhoooo!!!!) , e Street of Dreams tambem. agora de If the World pra frente é só bomba. Minto: Scraped é fodinha tambem. Tá, e This I Love

Calma aí… é, eu admito: acho que é um CD bom com três ou quatro musicas que eu não gostei por causa da batida meio hip hop. Minha primeira impressão foi uma merda foda, mas depois de ouvir Chinese umas trinta vezes, ficou até viciante…