Arquivo de agosto, 2012

Agosto (por enquanto)

Publicado: 19/08/2012 em besteiras, cinema, HQs, vida

O retorno à facul faz com que o tempo volte a correr como Usain Bolt, me forçando a iniciar a  produção propriamente dita do famigerado TCC sobre quadrinhos. Quanto aos estágios obrigatórios… acho que vou deixar pro ano que vem mesmo.

Não fui pro cinema desde o RISES, acho que agora só na estreia do já clássico MERCENARIOS 2 na sexta que vem.

Sobre o reboot da DC no Brasil, é dificil ter um mix com todas as histórias boas, o que chega mais perto disso é DARK (com as revistas Justice League Dark , Swamp Thing , Animal Man , Resurrection Man e I Vampire) e Lanterna Verde (cujo reboot não aconteceu de fato), tambem curti o inicio desse arco da Corte das Corujas (que salva o mix mensal do Batman), e tô acopanhando a do SUPERMAN, que até agora não emploga, mas tambem não desanima a ponto de largar.

Pelo lado MARVEL da força, li o arco ULTIMATE FALLOUT, publicada parcialmente na revista ULTIMATE MARVEL #25, com a trágica morte do jovem Peter Parker do universo Ultimate num duelo contra seu arqui-rival, o Duende Verde. Após o fim de Parker, entrará em cena Miles Morales, o novo Homem-Aranha, cujas primeiras aventuras devem ser publicadas aqui no Brasil já em setembro desse ano…

Por ora é isso, bom, não SÓ isso… tem muitas questões passando na minha cabeça agora alem da cultura pop, mas deixo isso para os próximos posts com versinhos enigmáticos e contos metafóricos para evitar futuras complicações.

Câmbio, desligo!

Começo meu review (sem spoilers) com três plavras que me vieram à cabeça com certa frequência em vários momentos desta película: PUTA QUE PARIU!!!

Tal expressão, ainda mal vista pela comunidade acadêmica, exprime com exatidão o catártico episódio final da trilogia iniciada em 2005 com Batman Begins, seguida três anos mais tarde pelo visceral O Cavaleiro das Trevas e concluída agora com O Cavaleiro das Trevas Ressurge.

Em 2008, quando escrevi meu post sobre O Cavaleiro das Trevas (que você pode reler aqui), duvidei da capacidade de C. Nolan supera-lo numa sequência, e cara, eu sinceramente não consigo escolher qual é o melhor. Certamente o terceiro tem um carater muito mais heróico, épico, aventuresco até, em relação ao segundo, que é muito mais um filme policial do que um longa de super-herói – mais ainda assim, um puta filme. Nessa última parte da trilogia, você sente uma assunção maior do diretor em relação as origens quadrinísticas do personagem, para a alegria dos fanboys mais atentos  e felicidade geral da nação. Enfim Batman é retratado como um super-herói, capaz de reverter a mais impossivel das situações e salvar uma cidade inteira, sem jamais quebrar seu único voto: nunca matar.

E o Begins, como fica nisso tudo? Admito que no inicio não curtia tanto o Batman Begins como gostava da versão de Tim Burton para o herói (Batman,1989). Foi só depois de O Cavaleiro das Trevas que passei a olhar o primeiro filme com mais carinho. Depois desse terceiro então, Begins passou a se tornar muito mais poderoso, pois Ressurge recupera muito dos símbolos e situações do primeiro longa para concluí-los de forma ciclíca nesse desfecho, fazendo a trilogia funcionar como uma grande ópera.

Falando em ópera, o que tu fez lá, Hans Zimmer? Que trilha sensacional!!!
Muito do impacto da violência, heroísmo e emoção da fita se deve a fantástica trilha desse gênio, GÊNIO!!!! Dá um play aí  embaixo e vê se não é foda esse cara!!!

E o elenco, hein?

Bale, obrigado por seu trabalho como Bruce e como Batman, sua garganta não foi arranhada em vão!

Michael Caine, você me fez chorar, seu filhodaputa, toma esse Oscar aí, vai!

Tom Hardy…então Tom, precisava MESMO daquela voz empolada? Tipo, tu tava foda, não me leve a mal, mas porra, sua voz de máscara tava mais clara e mais alta do que as pessoas sem nada no rosto, meio deslocada, sei lá. Tava esperando alguma coisa mais grutural, cavernosa, death metal, entende?

Tá, desculpa, eu exagerei. Seu Bane ficou ótimo, agora para de chorar!

Anne Hathaway… casa comigo, pode ser?

Marion Cotillard, pode me esfaquear a vontade, sua linda!

Gary Oldman, fica com o bigode, combina com você.

E Nolan, meu querido, obrigado e continue sendo foda. O Cinema agradece!!!

Nota: 11/10