Arquivo da categoria ‘cinema’

5 decepções em Iron Man 3

Publicado: 03/05/2013 em cinema

Não é que seja um filme ruim, mas… (mais…)

Bora fazer algo que não faço ha tempos: listas! 2012 foi um ano cinematograficamente histórico, nerdísticamente falando. A união dos heróis Marvel em Vingadores, a conclusão épica da BATrilogia do Nolan, o retorno à Terra Média com a primeira parte de O HOBBIT e enfim, um filme bom do 007 com o Daniel Craig. Esses e outros grandes lançamentos que importaram no ano recem-falecido você confere no meu TOP10 de 2012 nas linhas abaixo!

10° O Hobbit: Uma Jornada Inesperada

_

9°  Operação Skyfall

_

8° O Cavaleiro das Trevas Ressurge

_

7° Os Vingadores

_

6° Um Método Perigoso

_

5° Compramos um Zoologico

_

4° Ruby Sparks

_

3° Moonrise Kingdom

_

2° As Vantagens de Ser Invisivel

_

1° Os Intocaveis

_

PS: Well…. fiquei surpreso com o rumo que essa lista tomou… quando se para pra comparar objetivamente, os filmes que mais me empolgaram não foram extamente os melhores pra mim. Ah, tambem vale lembrar, que tinha colocado A Invenção de Hugo Cabret, DRIVE e A Pele Que Habito, tres filmes de 2011 que só fui ver um ano depois, mas pra não zoar a lista, tive que tira-los. Por essa mesma razão, você não vê filmes Cloud Atlas, Django Livre e The Master nesse TOP, filmes que provavelmente vou adorar, mas ainda não estreiaram aqui no Brasil.

Antes que o mundo acabe…

Publicado: 20/12/2012 em cinema, games, vida
Tags:,

Bom, mais de um mês sem atualizações, acumulei algumas coisas pra registrar aqui.

1° Meu TCC sobre quadrinhos

Gostei do resultado final e tambem de todo o caminho até chegar nele. Se você tiver interesse em dar uma lida, eu publiquei ele lá no Guia dos Quadrinhos (link AQUI). Foi legal apresenta-lo, apesar do tempo curto (só tive 5 minutos), aparentemente o pessoal gostou do meu resumo apressado. Como já havia dito em outro post, seria legal me tornar um estudioso profissional na área das HQs, vou fazer algum esforço nesse sentido… tentar um mestrado ano que vem, talvez?

2° Saudades da faculdade

Não sou muito de sair, nao me sinto bem em festas e baladas. Por essa razão, a faculdade era um modo de forçar essa socialização offline. Lá fiz alguns amigos e vivi uma bela história de amor, cujas lembranças e promessas levarei pra sempre comigo. Sinto falta da rotina, das pequenas coisas… do bolinho caipira, dos seus sorrisos, das conversas bobas… É disso que tenho saudades…

3° O HOBBIT

Muita gente ta falando que o filme é longo, arrastado… bom, por mim poderia ter 6 horas. Peter Jackson ama o universo fantástico criado por Tolkien e o resultado disso na adaptação do melhor livro do cara é puro amor em 48 quadros por segundo (embora até agora só tenha visto em 24, mas ainda vou conferir isso aê). Já vi duas vezes até agora e, putaquepariu, obrigado a todos os envolvidos!!!

4° Wii-U

Testei o novo video-game da Nintendo, e caras… é divertido demais!!! Os gráficos não mudaram muito em relação ao Wii, mas o jeito de jogar melhorou em muito com a adição de um pad – a primeira vista, estranho – que permite a você ferrar todos os seus amigos no Multiplayer. Falem o que quiserem da Nintendo, mas uma coisa não se pode negar: de diversão aqueles japoneses entendem!!!

5° Um romance inesperado

Aconteceu que, no final de dezembro, surgiu em minha vida uma bela garota que, mesmo absurdamente longe, faz minhas noites e meu coração mais felizes.

6° Fim do Mundo

#ficaadica

Correria foda nesse outubro de 2012: entre uma facultice e outra, tivemos o retorno chutador de bundas de THE WALKING DEAD, a estreia digna de ARROW – nova serie da Warner, que contará os primeiros anos de Oliver Queen como o Arqueiro Verde- alem do lançamento de um novo (e pelo que dizem, excelente) filme do 007, agora com direção do meu queridíssimo Sam Mendes (Beleza Americana).

Não comprei tantos quadrinhos nesse mês, mas sacolei o belo encadernado em capa-dura de Batman – O Filho do Demônio, uma saga clássica há tempos não republicada aqui, e altamente recomendada para os fãs da Morcega.

Ganhei da minha irmã dois livro-jogos muito roots do Ian Livingstone: A Cidade dos Ladrões e o A Cripta do Feiticeiro, a propósito: já morri nos dois!!! Mó frustração ler o negócio por horas e morrer por tentar ser bonzinho e salvar um velhinho de uma surra…

Meu TCC está estagnado, preciso terminar essa porra. O miolão já tá feito, falta só a Introdução, a Conclusão e a formatação da ABNChata.

Fora isso, tive alguns dias realmente incriveis, outros deploraveis, mas c‘est la vie

Ah sim: to com uma boa ideia pra um livro, vamos ver se vira alguma coisa 😉

=)

Publicado: 22/09/2012 em cinema, vida
Tags:,

Só que ficou uma merda. COMO?!? Meu Deus, como conseguiram fazer um filme tão fraco com um elenco tão estelar?!? O curto prazo de produção deve ter sido um dos fatores, talvez o pagamento dos maiores brucutus do Unverso tenha pesado, mas porra pelo menos um roteirinho mais ou menos, um esmero na fotografia, qualquer coisa… Cadê o carisma do primeiro filme? Cadê o envolvimento entre os personagens? Cadê emoção? Chamam o cara do CON AIR (que é foda) pra fazer isso aê e me entrega um porra dessas?!? Queria me empolgar com os Vingadores do cinema oitentista, mas infelizmente estou viciado em filme bom, e esse é tão descartavel quanto seu título original…

Nota : 5/10

nem Norris salva essa merda…

Agosto (por enquanto)

Publicado: 19/08/2012 em besteiras, cinema, HQs, vida

O retorno à facul faz com que o tempo volte a correr como Usain Bolt, me forçando a iniciar a  produção propriamente dita do famigerado TCC sobre quadrinhos. Quanto aos estágios obrigatórios… acho que vou deixar pro ano que vem mesmo.

Não fui pro cinema desde o RISES, acho que agora só na estreia do já clássico MERCENARIOS 2 na sexta que vem.

Sobre o reboot da DC no Brasil, é dificil ter um mix com todas as histórias boas, o que chega mais perto disso é DARK (com as revistas Justice League Dark , Swamp Thing , Animal Man , Resurrection Man e I Vampire) e Lanterna Verde (cujo reboot não aconteceu de fato), tambem curti o inicio desse arco da Corte das Corujas (que salva o mix mensal do Batman), e tô acopanhando a do SUPERMAN, que até agora não emploga, mas tambem não desanima a ponto de largar.

Pelo lado MARVEL da força, li o arco ULTIMATE FALLOUT, publicada parcialmente na revista ULTIMATE MARVEL #25, com a trágica morte do jovem Peter Parker do universo Ultimate num duelo contra seu arqui-rival, o Duende Verde. Após o fim de Parker, entrará em cena Miles Morales, o novo Homem-Aranha, cujas primeiras aventuras devem ser publicadas aqui no Brasil já em setembro desse ano…

Por ora é isso, bom, não SÓ isso… tem muitas questões passando na minha cabeça agora alem da cultura pop, mas deixo isso para os próximos posts com versinhos enigmáticos e contos metafóricos para evitar futuras complicações.

Câmbio, desligo!

Começo meu review (sem spoilers) com três plavras que me vieram à cabeça com certa frequência em vários momentos desta película: PUTA QUE PARIU!!!

Tal expressão, ainda mal vista pela comunidade acadêmica, exprime com exatidão o catártico episódio final da trilogia iniciada em 2005 com Batman Begins, seguida três anos mais tarde pelo visceral O Cavaleiro das Trevas e concluída agora com O Cavaleiro das Trevas Ressurge.

Em 2008, quando escrevi meu post sobre O Cavaleiro das Trevas (que você pode reler aqui), duvidei da capacidade de C. Nolan supera-lo numa sequência, e cara, eu sinceramente não consigo escolher qual é o melhor. Certamente o terceiro tem um carater muito mais heróico, épico, aventuresco até, em relação ao segundo, que é muito mais um filme policial do que um longa de super-herói – mais ainda assim, um puta filme. Nessa última parte da trilogia, você sente uma assunção maior do diretor em relação as origens quadrinísticas do personagem, para a alegria dos fanboys mais atentos  e felicidade geral da nação. Enfim Batman é retratado como um super-herói, capaz de reverter a mais impossivel das situações e salvar uma cidade inteira, sem jamais quebrar seu único voto: nunca matar.

E o Begins, como fica nisso tudo? Admito que no inicio não curtia tanto o Batman Begins como gostava da versão de Tim Burton para o herói (Batman,1989). Foi só depois de O Cavaleiro das Trevas que passei a olhar o primeiro filme com mais carinho. Depois desse terceiro então, Begins passou a se tornar muito mais poderoso, pois Ressurge recupera muito dos símbolos e situações do primeiro longa para concluí-los de forma ciclíca nesse desfecho, fazendo a trilogia funcionar como uma grande ópera.

Falando em ópera, o que tu fez lá, Hans Zimmer? Que trilha sensacional!!!
Muito do impacto da violência, heroísmo e emoção da fita se deve a fantástica trilha desse gênio, GÊNIO!!!! Dá um play aí  embaixo e vê se não é foda esse cara!!!

E o elenco, hein?

Bale, obrigado por seu trabalho como Bruce e como Batman, sua garganta não foi arranhada em vão!

Michael Caine, você me fez chorar, seu filhodaputa, toma esse Oscar aí, vai!

Tom Hardy…então Tom, precisava MESMO daquela voz empolada? Tipo, tu tava foda, não me leve a mal, mas porra, sua voz de máscara tava mais clara e mais alta do que as pessoas sem nada no rosto, meio deslocada, sei lá. Tava esperando alguma coisa mais grutural, cavernosa, death metal, entende?

Tá, desculpa, eu exagerei. Seu Bane ficou ótimo, agora para de chorar!

Anne Hathaway… casa comigo, pode ser?

Marion Cotillard, pode me esfaquear a vontade, sua linda!

Gary Oldman, fica com o bigode, combina com você.

E Nolan, meu querido, obrigado e continue sendo foda. O Cinema agradece!!!

Nota: 11/10

Que decepção…

Gostei tanto de 500 dias com ela que estava seguro que o reboot estaria em boas mãos.O elenco estava melhor, os trailers emplogantes e até a primeira metade do longa em si tudo estava lindo. Então vieram as trevas e o filme começou a me deixar com raiva, com muita raiva…

Antes de começar a descascar o filme, deixa eu listar o que gostei:

– O Peter malemolente, de várzea, pé descalço muito melhor que o looser do Tobey Maguire;

– A linda da Emma Stone fazendo uma apaixonante Gwen Stacy;

– Todo o amor pueril entre os dois.

Marc Webb sabe contar um romance de forma honesta e contemporânea e é disso que se trata a primeira parte do filme: de relações inter-pessoais, construção de personagens e suas motivações.Ok, tô curtindo até aí, mas do meio pro final, parece que o produtor Avi Arad chutou a bunda do Webb e resolveu brincar de diretor e o resultado foi um chute no saco e no cerebro deste fanboy que vos escreve…

Image

Meu, é tanta coincidência conveniente, tanta solução Deus Ex Machina, tanta merda, mas tanta que dei graças quando o filme acabou (e olha que eu sou ateu). Tô puto com esse filme, espero que não dê grana e os direitos voltem pra MARVEL. No aguardo do próximo reboot…

Nota: 6,5/10

O ano é 1997. Eu, com meus 9 anos alimentava uma paixão platônica por uma loirinha colega de classe chamada Miriam. Lembro que certa vez apelei para uma simpatia que consistia (entre outras coisas) em escrever no pé direito (ou esquerdo, nem lembro mais) o nome da pessoa amada por não sei quantos dias, só sei que minha mãe acabou descobrindo meu feitiço e contou pro mundo inteiro. Desde então, nunca mais recorri a magia popular para… peraí achei a simpatia, olha que maluquice:

Escreva na sola do pé esquerdo o nome da pessoa amada e aperte no chão dizendo três vezes: Debaixo do meu pé esquerdo, te prendo xxx, te amarro xxx. e te mantenho xxx pelo poder das treze almas benditas. Que assim seja. Que voce venha me procurar em 24h, dizendo que me ama e que quer ficar pra sempre comigo. Enquanto voce não vier não irá comer, não irá dormir e nem irá ter vontade de outro homem a não ser eu. Assim seja, assim será.

_

Bom, voltando a história: minha mandiga foi descoberta e eu tive que usar de outo subterfúgio para conquistar aquela menina: DESENHOS!

Fiquei craque em desenhar a minha musa e todo dia à presenteava com obras originais desenhadas e finalizadas em folhas de caderno. Me declarar é claro, não era uma opção naquela época, mas eu me contentava com aquele pouco de atenção e quem sabe, alguma admiração pelo meu trabalho.

Então James Cameron lança TITANIC, só dá a mala da Celine Dion nas rádios e todo mundo fica maluco por esse filme. Eu, metido a pequeno hipster, tentei ignorar todo o alvoroço gerado pelo longa, mas eis que minha amada começa a me pedir a desenhar o tal do navio. Contrariado, mas conformado me dediquei a reproduzir todo o terror e caos do acidente naquilo que julguei na época um desenho muito foda. Orgulhoso, entreguei meu TITANIC com aquela proa bonita pra cima, com o mar salpicado de corpos congelados esperando uma resposta emocionada daquela criança.

Image

Mais ou menos assim…

 E o que ela me diz? “Ahh…mas eu queria o navio ANTES do acidente”

Naquele momento, todo o amor secreto que eu nutria desapareceu e Miriam nunca mais ganhou um desenho meu.