Arquivo de outubro, 2012

Post Mortem

Publicado: 31/10/2012 em contos

O buraco em minha cabeça ainda queima enquanto vejo meu algoz, um garoto de 13 anos, revistar meus bolsos em busca de algo que possa trocar por algumas gramas de seja-lá-o-que-for. Tento surpreende-lo: alcanço seu fino braço, mas minha mão o transpassa como água. Espantado, me levanto e percebo que deixei uma cópia de meu corpo para trás. O viciadinho de merda foge com minha carteira (vazia, diga-se de passagem).Cansado demais para persegui-lo, agacho para observar aquilo que costumava ser eu, ou melhor, aquilo que aparentava ser. Confiro o rombo em minha cabeça… acho que morri mesmo. Fico sentado ali, do lado do meu cadaver esperando alguma assistência. Não demora até que curiosos comecem a me velar, estendido na calçada. Um casal de velhinhos, um punk mal-encarado (pleonasmo?) e um grupinho de estudantes meio chapadas. Uma meia hora depois, a ambulância chega, ensacam meu ex-corpo e o levam para o carro. Um breve momento de burburinho e logo todos vão embora da cena do crime, com exceção de meu eu fantasmagórico e daquele punk que apontei algumas linhas acima. Ele olha pra mim, eu o encaro de volta… por um momento, pensei que seria assaltado denovo, mas o jovem alto e branquelo, com um moicano à la Taxi Driver, sorriu e me disse:

-É… já era… agora levanta daí, porra… a gente tem muito o que fazer…

Correria foda nesse outubro de 2012: entre uma facultice e outra, tivemos o retorno chutador de bundas de THE WALKING DEAD, a estreia digna de ARROW – nova serie da Warner, que contará os primeiros anos de Oliver Queen como o Arqueiro Verde- alem do lançamento de um novo (e pelo que dizem, excelente) filme do 007, agora com direção do meu queridíssimo Sam Mendes (Beleza Americana).

Não comprei tantos quadrinhos nesse mês, mas sacolei o belo encadernado em capa-dura de Batman – O Filho do Demônio, uma saga clássica há tempos não republicada aqui, e altamente recomendada para os fãs da Morcega.

Ganhei da minha irmã dois livro-jogos muito roots do Ian Livingstone: A Cidade dos Ladrões e o A Cripta do Feiticeiro, a propósito: já morri nos dois!!! Mó frustração ler o negócio por horas e morrer por tentar ser bonzinho e salvar um velhinho de uma surra…

Meu TCC está estagnado, preciso terminar essa porra. O miolão já tá feito, falta só a Introdução, a Conclusão e a formatação da ABNChata.

Fora isso, tive alguns dias realmente incriveis, outros deploraveis, mas c‘est la vie

Ah sim: to com uma boa ideia pra um livro, vamos ver se vira alguma coisa 😉

não, o blog não morreu

Publicado: 07/10/2012 em Sem categoria

Mals a demora pra atualizar o Cadarço, não que alguem se importe com isso, mas achei por bem avisar que estamos aí. Bom, um monte de coisas realmente épicas aconteceram nos ultmos meses, mas por decisão contratual não posso conta-las aqui, mas saibam que nesse momento especifico do meu espaço-tempo estou bem empolgado com a vida, o universo e tudo o mais, queria fazer essa sensação durar mais tempo, tipo, pro resto da vida, mas acho dificil que role… O fato é que vou levar esses ultimos meses de 2012 pra sempre comigo, talvez renda um livro no futuro, ou um roteiro, sei lá… mas saiba que você (sim, você mesmo aí!) fez uma puta diferença no homem que eu serei daqui pra frente, e que nada, nem ninguem vai macular esse  doce sonho que vivemos juntos.

Errr… bom, enfim: to terminando o TCC, vendo Breking Bad (foda) e lendo muita HQ boa ultimamente. To com umas ideias de começar a morar sozinho ano que vem, quem sabe um apartamento… sei lá, veremos… ah, tenho que iniciar minha carreira docente logo tambem, nem que seja como professor substituto… Faço 25 ano que vem, tá vindo aí uma crise de meia-meia-idade, talvez uma dose de responsabilidade me faça bem.

Por ora é isso…