Arquivo de outubro, 2008

1° Divisão!!!

Publicado: 29/10/2008 em besteiras, dinheiro
Assim como nosso glorioso timão, eu voltei!!!

Agora são exatamente três da madruga, teclando aqui meio na surdina pra não acordar ninguem. Bom, já estou conseguindo conciliar melhor a questão tempo/trampo, mas ainda não dá pra fazer tudo que eu preciso/queria, como por exemplo ir ao cinema (se bem que não deve ter nada muito bom rodando essa semana).

Lembra aquele papo de “pai rico, pai pobre“? Poisé… o esquema é muito mais dificil na prática, principalmente quando se é um maldito nerd consumista (retundância?). Tipo, não que eu já esteja afundado na lama, mas não deixo sobrar nada pra investir, a não ser que você chame um amontoado de DVDs, mangás e action figures um investimento. Sério: não tem nem mais espaço pra guardar tanta coisa… e olha que eu tô me segurando.

Mas não só de papel, brinquedos e filmes vive o homem… Pô, ele tambem precisa de roupas!!!
E com roupas entenda: “camisetas com estampas nerds” dignas do Sheldon (BBT). Encontrei uma lojinha muquiada aqui em Soroca que me faz pirar toda vez que entro lá. Já tenho uma branca do Edward Scissorhands, uma musgo (emborrachada) do Capitão Caverna, e a clássica preta e verde do X-Files!

Caramba…tô ficando com sono…bem, antes que eu capote aqui vou tratar de postar essa minha empolgação momentânea e tentar sonhar alguam coisa.

“Good Morning_Oh, and in case I don’t see ya, good afternoon, good evening and good night.”

É… ainda não foi dessa vez que fizemos o tão aguardado oficial primeiro contato interplanetário. Alarme falso pessoal, o show acabou!

Pena, o mundo ia ficar muito mais interessante se tivessem inúmeras navezinhas pairando aqui e ali, com a massa eufórica (me incluo aqui) formando filas épicas só pra terem o gostinho de serem abduzidas ao menos uma vez na vida, mais do que isso, mais do que qualquer coisa: o começo de uma nova era.

Uma chance de fuga, uma luz, uma outra vida pra bilhões de humanóides entediados com essa bola azul que chamamos de Terra. Não faz sentido ficar preso ao chão quando se pode voar, desbravar os limites do Universo, do Multiverso com as mais exóticas raças e cores da galáxia. Aprender a desaprender as verdades que tínhamos como certas, conhecermos seus deuses, seus heróis e seus amores. Tudo seria diferente, tudo.

Mas tudo continua do mesmo jeito, tudo (pelo menos até agora).

* Essa viagem na maionese é válida apenas na hipótese que eles venham em paz

Silente

Publicado: 05/10/2008 em versos

Tempo, muito tempo depois eles finalmente se encontraram
Agora não mais protegidos pela distância daquilo que os uniu
Tanto tempo,
tantos sentimentos engasagados na garaganta
que se afogaram no silêncio da timidez
Porque tudo parece mais fácil com o resto do mundo?